fbpx
Como fica a interação social depois da pandemia?

Como fica a interação social depois da pandemia?

Já se perguntaram como ficarão nossas relações sociais em um mundo ameaçado por um vírus que não escolhe idade, classe social, raça ou sexo? 

Aqui na Alemanha, onde moro, as pessoas são naturalmente mais reservadas e individualistas. O espaço físico individual é algo levado bastante a sério por essas bandas. No Brasil somos diferentes, gostamos da proximidade física. O toque, o contato físico, faz parte da nossa cultura como povo e do nosso jeito de ser. Quem nunca saiu de uma loja e, após um ótimo atendimento, abraçou ou deu três beijinhos na vendedora? Eu já! Isso aqui na Alemanha seria algo impensável! Você não interage com um estranho com esse nível de intimidade e proximidade física, embora as pessoas sejam amigáveis e bem educadas. Por isso, fica a questão: como fica a interação social depois da pandemia do coronavírus?

Mesmo na Alemanha ela já mudou. Agora todo mundo procura ficar a pelo menos um metro e meio de distância um do outro, sem nenhum tipo de toque físico, e isso mesmo entre conhecidos. E aí no Brasil, será que vamos incorporar esses novos comportamentos a nossa cultura social? Você acha que o coronavírus vai tornar o brasileiro menos caloroso em suas interações sociais? O distanciamento físico vai se traduzir também em distanciamento afetivo no âmbito das relações sociais? Na hora de apertar as mãos, sentar muito próximo a alguém sem máscara e até no trabalho, será interessante observar como esses meses de pandemia terão moldado nosso novo jeito de ser e interagir com as pessoas, e como tudo isso vai se adaptar à nova realidade do mundo. Mas se a gente considerar que uma boa parte da população brasileira não pôde fazer quarentena da forma recomendada, muitos tendo de pegar ônibus lotado e conviver em casas pequenas com um grande número de habitantes, talvez essa mudança não tenha tanto lugar como está tendo em outros países. 

Eu não acredito que todos os países do mundo passarão por mudanças profundas nesse sentido. Creio que em alguns lugares elas serão mais visíveis que em outros. Em países como a Alemanha são menos perceptíveis – embora estejam lá – do que em lugares como o Brasil. E haverá também culturas que não mudarão absolutamente nada e seguirão a vida como antes. Seria o Brasil um desses lugares? 

Ninguém quer viver sozinho 

Interações sociais no mundo pos pandemia

Não podemos esquecer um outro ponto importantíssimo: as quarentenas estão mostrando a importância da interação social, o quão vital é manter contato físico com outras pessoas. O ser humano não nasceu para viver sozinho, e a pandemia do coronavírus está deixando isso bem claro. Precisamos uns dos outros para sobreviver, seja por questões práticas do dia a dia, como contratar um serviço de terceiros, seja por questões de cunho emocional, mental e espiritual. A verdade é que desde os primórdios da civilização vivemos em tribos, e cortar esse vínculo se mostrou difícil e doloroso. Somos animais sociais. Sob esse ponto de vista, um efeito positivo do distanciamento social seria a nossa percepção sobre a importância que as interações sociais tem nas nossas vidas. É aquilo, né? A gente só sente falta do sol quando passa um período longe dele. 

Pra concluir, que tal enxergarmos esse período como um um ensaio para buscar relações mais fortes e focadas nas pessoas? Que tal aproveitar esse período para, mesmo à distância, fortalecer seus vínculos com as pessoas importantes na sua vida? Nesse momento, estamos privados da maioria das distrações que nos fazem adiar encontrar aquele amigo querido, aqueles motivos que sempre arrumamos para não ir visitar a tia, ler um livro para os sobrinhos (e eu falo sobre leitura infantil nesse outro post aqui)… Neste momento dá pra focar mais nas pessoas, seja por texto, telefone ou vídeo chamada. Converse, pergunte, interaja, se interesse pelas pessoas e mostre que a distância não é empecilho. O ano de 2020 tem sido um grande desafio, mas com a atitude certa a gente consegue transformar problemas em oportunidades de crescimento pessoal. E quem sabe lá na frente a gente reabra as portas – e os braços – para acolher o outro – e o planeta – de forma mais presente e madura.

 

Photo by cottonbro from Pexels

0
Cinco apps de relacionamento para usar no mundo pós-pandemia

Cinco apps de relacionamento para usar no mundo pós-pandemia

Olha eu aqui de novo pra falar de paquera e relacionamentos. Assunto dos bons, hein? Espero que provoque tantas risadas quanto o post de dias atrásE aí, quantas horas por dia vocês passaram em apps como Tinder, Badoo, Bumble, Lovoo? Atualizaram bem os contatinhos? Confessem!! Mas sério, acho que se antes os aplicativos de relacionamento conheceram um boom gigantesco por facilitarem a troca de contatos e a interação antes mesmo do encontro físico, agora com a pandemia da Covid-19 eles ganham uma outra importância. Em um mundo impactado por um vírus altamente contagioso onde, dificilmente, voltaremos à tal “normalidade” de antes, a paquera in loco, o flerte presencial, o “ficar” na balada ou no barzinho infelizmente se tornaram uma coisa perigosa. Beijar e abraçar estranhos na noitada virou arma e na atua conjuntura pode ser letal. Pelo menos até encontrarmos uma vacina contra esse vírus maldito.

E é nesse contexto que os apps de relacionamento e paquera vão crescer. Com países inteiros em quarentena mundo afora, a única maneira de continuar conhecendo pessoas e investindo na paquera é através dos apps. Aí quando esse pesadelo acabar, finalmente poder encontrar aquela pessoa com quem você vem conversando e trocando fotos há tempos. Mas até lá já sabe: #ficaemcasa

De acordo com uma pesquisa do Happn Brasil, realizada em 2018, 60% dos brasileiros fazem uso de apps de relacionamento! É muita gente! E em época de distanciamento social a busca por esse serviço subiu. O distanciamento físico aproxima as pessoas no mundo virtual como temos visto nas lives, vídeo conferências e afins. Mas você conhece o perfil dos aplicativos mais usados no Brasil? Sabe em qual deles é mais fácil achar diversão casual ou em qual plataforma as chances de encontrar seu próximo namorado (a) são maiores? Tem aplicativo que realmente favorece encontrar o amor ou é tudo focado em sexo sem compromisso? Calma, vamos fazer uma análise bem rapidinho aqui dos cinco apps mais usados no Brasil. Aí você decide qual deles casa melhor com o que você busca no momento, combinado?

  1. Tinder (IOS, Android)
    Campeão absoluto no quesito paquera, o Tinder é um fenômeno mundial e mudou completamente a maneira como as pessoas buscam parceiros online. Na minha opinião pessoal, o Tinder tornou tudo mais superficial, visto que muitos não querem investir tempo conhecendo alguém, já que é mais fácil voltar de novo pro celular e deslizar para o próximo. Mas o app também deixou tudo mais fácil e rápido. Nunca foi tão fácil encontrar pessoas novas e expandir a rede de contatinhos. Intuitivo e fácil de usar, tem fama de ser bom para encontros casuais. Mas claro, há histórias de amor nascidas no Tinder. Tudo é possível.
  2. Happn (IOS, Android)
     Perfeito para atualizar a lista de crush do momento. Uma particularidade desse aplicativo é que ele te permite identificar uma pessoa que passou por você na rua, caso essa pessoa também use o app. Legal, né? Como o Tinder, o app trabalha na base da reciprocidade: a pessoa só recebe mensagens de quem também se interessou por ela.
  3. Par perfeito (IOS, Android)
    Eu lembro do Par Perfeito anos atrás, muito antes da era Tinder. Era um site de relacionamentos bem popular no início dos anos 2000 e que há alguns anos migrou para o celular. Naquela época costumava ser um serviço para quem buscava relacionamento sério, o tal par perfeito 🙂 O Par Perfeito fez tanto sucesso que virou programa de TV. Se é isso o que você busca, algo sério, por que não investir? O app apresenta, diariamente, uma lista de usuários que se encaixam no seu perfil. Acho legal isso, de você ver perfis por afinidade.
  4. Badoo (IOS, Android)
    É um dos apps mais usados no mundo e também começou como site até virar aplicativo de celular. O Badoo permite descobrir quem está perto de você. Na versão website eu usei algumas vezes, mas achei que o nível da galera deixava a desejar. O perfil do app é semelhante ao do Tinder.
  5. Grindr (IOS, Android)
    Esse eu nunca usei, mas isso porque o app foca no público LGBT. Mas tenho amigos que já usaram e aprovaram. O usuário pode atribuir estrelas aos perfis que gosta e a geolocalização também ajuda a dar match em quem está mais próximo de você. Tem uma versão paga que oferece mais funções.

Esses são só os cinco mais usados no Brasil. Apps de relacionamentos existem às centenas e para todos os gostos. Eu já me aventurei muito no Tinder, já tentei o Badoo (versão website) e alguns apps mais nichados por faixa etária e nível de educação, mas no fim, sempre que me vejo querendo conhecer pessoas novas o Tinder acaba sendo a opção mais fácil. Qual vocês usam? Tem alguma história com final feliz pra contar aqui pra mim?

 

Foto: Andrea Piacquadio do Pexels
Foto: vjapratama do Pexels

0
Relacionamento: seis tipos de homens que você encontra no Tinder Alemanha

Relacionamento: seis tipos de homens que você encontra no Tinder Alemanha

Esse post vai ser hilário. Prevejo risadas! Já adianto que, por não ter experiência com o Tinder Brasil eu adoraria ouvir de vocês os tipos mais comuns que aparecem no app aí nosso país. A bela aqui está solteira e claro, o Tinder pareceu uma opção em diferentes ocasiões dessa minha solteirice pós-casamento que já dura mais de dois anos. Encontrei pessoas novas. Com alguns saí uma vez e nada mais. Com outros rolou um segundo encontro. Tive um namorado que conheci no Tinder. Mas na maior parte das vezes, é preciso paciência e tempo para encontrar alguém que valha o investimento. Enquanto isso não acontecia, eu dava muita, mas muita risada com os tipos mais comuns encontrados no Tinder Alemanha. Uma coisa é certa: aprendi a identificar logo nas primeiras mensagens se vale ou não a pena prosseguir. Afinal, amigos eu já tenho e se quiser novos não é no Tinder que eu vou procurar. Vamos lá?

  1. O Smalltalker – em inglês, small talk significa conversa fiada, aquele famoso “Que tempo feio hoje, né?”. Esse habitante dos bites and bytes do Tinder não consegue sair do raso, é incapaz – ou não quer – ir além do “Oi linda, tá fazendo o quê hoje?” No momento em que você reage ele te manda de volta uma resposta monossilábica ou um “Que legal”. Acabou conversa, gente! Espere aí uns dois, três dias e lá está o Smalltalker de volta com a mesma conversa rasa, sem graça e entediante. E claro, sempre com os mesmos elogios e perguntas, algo do tipo “Hast du einen schönen Tag?” – Tá tendo um bom dia? em alemão. Alguns chegam ao ponto de enviar esta mesmíssima frase todo santo dia, mesmo não obtendo qualquer reação da nossa parte.

    Conselho: ignore. Ou melhor: dá logo um unmatch por que isso aí nunca chegará a lugar nenhum.

  2. O amigo do Whatsapp – Esse cara começa muito bem, tão bem que a gente dá o número de telefone e logo migra a conversa para o WhatsApp. No app do Tinder ele tinha uma conversa legal, foi logo dizendo que queria conhecer e pediu rápido para mudar para o aplicativo de mensagens, pois “não entro muito aqui”. Uma vez no Whatsapp conversa vai conversa vem… e é só isso mesmo! Ele te chama no Whats, elogia tua foto de perfil, comenta no teu status, te conta do churrasco do fim de semana. Nenhuma menção a vocês se encontrarem pra se conhecer. E quando você toca no assunto ele é sempre muito positivo “Claro, vamos nos encontrar sim, quero muito te conhecer”. E morre aí. O que acontece com esse sujeito é o seguinte: ele está conversando e saindo com várias outras mulheres, e pra manter o carrossel de garotas sempre em movimento e ter escolhas, ele fica nessa, te alimenta com textinhos aqui, comentários elogiosos ali, uma promessa de encontro acolá…mas de fato ele não tá interessado em te conhecer. Tudo o que ele quer é te cozinhar ad infinitum para o caso de um dia ele não ter nada melhor pra fazer, aí sim você se torna uma opção.

    Conselho: se depois de uma semana o cara continua inventando desculpas pra não te encontrar, deseje boa sorte, explique que gosta de algo mais “real” e bloqueie. Esse tipo tem um talento incrível para nos fazer perder tempo. Quanto antes você se livrar, melhor.

  3. O cinquentão playboy – É impressionante como o ecossistema do Tinder fez surgirem esses tipos que vivem em busca da juventude perdida dos 20 e poucos anos. Eles gostam de ostentar um estilo de vida de alto padrão, as fotos só os mostram em “aventuras” tipo esqui nas montanhas, passeio em cima de um elefante na Tailândia, posando na frente de um carro esportivo na beira de uma praia, tomando vinho num restaurante caro. Esse habitante do mundo maravilhoso do Tinder gosta de variedade, ao entrar na dele você tem de estar ciente de que será apenas mais uma, pois o negócio é “aproveitar a vida”, mais conhecido como: vou fazer você se sentir incrível, te levar pra cama, curtir por um tempo e depois, PRÓXIMA! São homens emocionalmente imaturos que mentem sobre suas reais intenções. Problema: são incrivelmente charmosos, bem cuidados e sabem exatamente o que dizer – e fazer – para deixar uma mulher caidinha por eles. Muitos chegaram aos 50 sem casar e sem filhos. Outros até foram casados, mas por algum motivo acham que não aproveitaram a vida o suficiente e agora, depois dos 50, querem vive tudo de uma vez só. Que bom pra eles, né? Mas se você quer um homem real que te ofereça um relacionamento real, vai ter de dar adeus aos vinhos caros e as viagens de fim de semana uma vez por mês. Esse tipo é mulherengo até não poder mais, e quando passar o frisson da novidade, ele vai te transformar em uma das garotas do livrinho de “boas fodas” dele, aquelas meninas pra quem ele liga de vez em quando pra sair, mas estão sempre em contato pra te manter gravitando ao redor deles.

    Conselho: se você gosta e quer uma aventura intensa vai fundo! Mas vai sabendo que tem prazo de validade, e que com esse tipo de homem você só conhecerá da vida dele aquilo que ele filtra e te passa. A vida “real” dele dificilmente fará parte da sua. Ele criou um lifestyle e é dentro desse universo que ele vai te inserir para, depois, te transformar em mais um contato to go for na longa lista de mulheres dele. Se você busca um relacionamento sério, ele não é o cara que vai te levar pro altar, mas não deixa ser uma opção para curtir algo leve e sem compromisso desde que você saiba onde está entrando.

  4. O casado sem sexo – Um dos principais habitantes do país Tinder, esse tipo se diz entediado, preso a um casamento frustrante onde não há mais intimidade entre o casal. Separar? “Não é uma opção”, dirão eles. A julgar pelo número de homens casados no aplicativo eu diria que era pra população alemã estar em franco declínio, já que os casados não fazem mais sexo e, portanto, novos seres humanos não nascerão. Impressionante! Esse cara vai te dizer que é casado, mas que só no papel, pois na prática a relação já era há tempos. Vai propor encontros “discretos” uma vez por semana, ou até algo mais periódico nem tão discreto assim. Se como eu você é uma RAINHA do horário nobre, certamente vai querer estar com um homem que te exiba pra cima e pra baixo na sexta e no sábado à noite, que saia contigo de mãos dadas na rua no domingo de manhã. Spoiler: não vai rolar com esse cara. Ele vai querer te dar as terças à tarde ou no máximo um jantar nas quintas à noite. Você nunca será protagonista. Ele é CASADO, lembra?

    Conselho: FUJA!

  5. O cara de pau – Eu diria que esse é o tipo mais comum. Pra resumir é assim, o cara quer te conhecer com esforço ZERO. Zero investimento em você, zero tempo passado tentando te conhecer melhor, zero papo legal pra te conquistar, zero tudo. Ele quer sexo e não quer sequer ter de ser cortês para consegui-lo. Logo de cara ele vai fazer insinuações sexuais, até os elogios dele descambam para a vulgaridade. Em seguida ele propõe que vocês se encontrem – na casa dele claro! E quando você disser que prefere um local público por ser o primeiro encontro, ele vai te chamar de fresca, colocar mil empecilhos e dizer que quer “apenas” conversar com você sem interferências externas. HAHAHAHA sério. O cara quer te levar pro sofá da casa dele sem te conhecer pra conversar, minha gente! Em sua versão mais hardcore ele vai te perguntar se pode ir te visitar na sua casa, isso numa sexta ou sábado depois das 21h, porque né? super normal e tranquilo receber um estranho às dez da noite em casa no fim de semana. Sussa!. Eu dou altas risadas com esse tipo. Tenho umas respostas prontas na ponta da língua.

    Conselho: não invista NADINHA em um homem que acha que dividir uma taça de vinho contigo não é algo que valha a pena. Você não é a refeição de sábado à noite e não aceite ser tratada como tal. Deseje boa sorte e dê aquele block com gosto.

  6. O pervertido – Não sei se sou só eu, mas já perdi as contas do tanto de homens que dão match por que querem ser meu escravo. Não tô brincando, não. É sério. São homens cuja fantasia é servir uma mulher, fazer tudo o que elas querem e se deixarem humilhar por ela. Uma vez, de curiosidade, fui encontrar um. Conversamos em um bar e ele logo ficou vidrado, com o olhar fixo em mim, quase que em transe, me dizendo que iria limpar o box do meu banheiro com a língua, lavar toda a minha louça, me levar pra fazer compras e carregar todas as sacolas, servir a mim e as minhas amigas, e que meus comandos eram ORDENS! Me explicou, com uma riqueza de detalhes obscena, tudo o que eu poderia fazer com ele. Gente, eram tantas humilhações as quais ele queria ser submetido que eu perdi totalmente o interesse no cara. Não é minha. Gosto de homem masculino. Entendo que algumas mulheres curtam um cara assim e tals, mas não é meu caso. No fim do nosso encontro, dentro do metrô, ele pediu pra eu dar um tapa na cara dele. Disse que não conseguiria ir pra casa sem isso, estava vidrado, com uma expressão lunática.O cara ficou imóvel e eu tive de fazer o que ele queria….

    Conselho: se topar com um desses e a curiosidade falar mais alto, por que não? Sou a favor de novas experiências e de repente vai que você gosta da coisa? Mas se você é uma mulher que curte homens do tipo alfa bem masculinos esquece. Esse cara vai te fazer perder o tesão em cinco minutos!

Eu sempre digo que o Tinder é um ótimo fornecedor de matéria-prima para análise social. E mesmo um encontro ruim do Tinder tem seu lado positivo: a gente descobre cada tipo que nem sabia que existia. Ainda vamos falar mais do aplicativo por aqui. E vocês? Tô louca para ler os comentários de vocês sobre as histórias mais divertidas e bizarras vividas no aplicativo. Contem, contem tudo! 

Foto de abertura: Jasmine Carter from Pexels

1+
10 músicas pra superar um fora e fortalecer a autoestima

10 músicas pra superar um fora e fortalecer a autoestima

Tem música pra tudo nessa vida, não é não, gente? Eu sou daquelas que precisa de trilha sonora em todos os momentos. Se pra chorar até a última lágrima a gente dá play naquelas letras suicidas lindas de viver e deixa o choro correr, na hora de dar a volta por cima não poderia ser diferente. Foram semanas, talvez meses de tristeza sem fim, vazio na alma e aquela sensação de que ninguém mais no mundo iria fazer você se sentir como ele te fez sentir. Mas é chegado o momento da volta por cima. O amor próprio cresce. A vontade de “sair” pra vida reaparece. A autoestima dança ao som de Dua Lipa. A gente não está totalmente curada. O dito cujo ainda está lá no fundo da nossa cabeça, mas dói menos. Uma alegria de viver tímida aparece de vez em outra. A urgência em “vou dar o troco”, “vou mostrar que tô arrasando” surge, e a gente quer algo pra impulsionar esse recém-adquirido sentimento de liberdade e libertação. O que poderia ser melhor que aquela música com a letra e o ritmo certos para nos fazer querer sair por aí mostrando que sim, renascemos e estamos ainda melhores que antes? Tchau, querido!

Eu, que passei por um término em 2019, sei o quanto a música me ajudou nos piores momentos. Ela me ajudou a chorar de soluçar até dormir, me ajudou a me sentir mais poderosa, me ajudou a entender que a vida não tinha acabado por que um simples fulano não me queria mais, e por fim me ajudou a ver que, por mais duro que o inverno seja, a primavera sempre vem. E floresce. E lembre-se: o fato de uma pessoa não querer ficar com você não tem nada a ver com você, não tem nada de errado com você. É uma escolha dela. Portanto, erga a cabeça e abra espaço pro novo. A seguir, a minha playlist pra superar legal um fora e seguir sendo a rainha que você nasceu pra ser.

Me segue lá no Spotify.

Playlist – Rainha renascida 

  1. Dua Lipa – New Rules
  2. Ariana Grande – Next
  3. Mabel – Don’t call me up
  4. Pussycat Dolls – Hush hush
  5. Dua Lipa – Don’t start now
  6. Ariana Grande – No tears left to cry
  7. Pussycat Dolls – I don’t need a man
  8. Dua Lipa – IDGF
  9. Sigalla & Beck Hill – Wish you well
  10. Ally Brooke – Higher

Quais músicas te fazem se sentir bem e no topo do mundo?

1+

SOBRE PL

O Passaporte voltou, sempre interagindo com seus seguidores, com dicas e informações do mundo da moda, beleza, turismo, entretenimento com um olhar de quem vive buscando o inusitado!

Desenvolvido por Digital Helper
Copyright © 2020 Passaporte do Luxo.Todos os direitos reservados.