Livros – 50 tons mais escuros é o melhor da trilogia 50 tons

Já faz um tempinho que postei sobre 50 tons de cinza (leia a resenha AQUI) aqui no blog e como eu achei o livro superficial, mas ainda assim um bom passatempo sob alguns aspectos. Hoje vou falar do segundo volume da trilogia, 50 tons mais escuros, na minha opinião o melhor livro da série. Já li os três livros e posso dizer que jamais voltaria a lê-los novamente. Se você nunca leu nenhum desses livros e está pensando se deveria ou não começar antes de o filme estrear, relaxa. É o tipo de literatura que dá pra pular tranquilamente e ir direto ao filme sem prejuízo algum. Mas, já que eu li tudo, vou contar pra vocês um pouco sobre o lado mais sombrio do dominador de olhos cinzentos e expert sexual Christian Grey

Livros - 50 tons mais escuros é o melhor da trilogia 50 tons

No segundo volume da série aprendemos que o CEO da Grey Entreprises foi uma criança negligenciada e traumatizada pelo estilo de vida de sua mãe biológica, uma prostituta viciada em drogas. Apesar de maníaco por controle e de ser um dominador nato, Christian aceita ceder e, aos poucos, Anastasia consegue penetrar em sua vida. Ele supera desafios como a intolerância ao toque (o que o coloca numa posição vulnerável, daí ele só gostar de tocar e provocar sensações no outro para alimentar a ilusão de que mantém controle total sobre suas emoções) e a incapacidade de ter um relacionamento adulto não baseado na humilhação e submissão total do outro. Mas isso não significa que Grey mudou! Conforme a história vai evoluindo e eles se tornam de fato um casal, fica cada vez mais evidente o quão Anastasia Steele se deixa comandar pelas vontades e obsessões de seu namorado control freak total.

Por mais que a autora tenha se esforçado para mostrar que, tanto Anastasia quanto Christian cedem aqui e ali e que por isso mesmo o relacionamento se torna possível, ainda assim e apesar do amor todo que Christian sente pela moça fica evidente que, em sua visão distorcida das coisas Anastasia é não apenas sua namorada, mas sua propriedade. Desde o que a garota come, se come e quando, até o cerceamento do direito de ir e vir (ele a obriga a andar com seguranças e chega a não permitir que ela saia de casa sozinha), Christian Grey controla a vida de Anastasia como controla as empresas que adquire.

Para o leitor desavisado fica aquela ilusão de que nossa heroína submissa Anastasia Steele está mudando o rapaz. É claro que ele faz concessões e deixa para trás seu lado mais sombrio de dominador BDSM, mas o controle e o paternalismo com que sempre tratou as mulheres continua lá, mesmo depois que se casam! Sim gente, eles se casam.

Nosso herói torturado é vidrado pela imagem de Anastasia comendo. Daí que autora traça um paralelo entre sexo e comida que permeia o livro inteiro. Mas é chato pacas as incontáveis cenas em que Christian dá bronca na moça por ela não ter comido ou por ter comido pouco, como se ela fosse sua filha de quatro anos. Christian Grey é provavelmente o ricaço lindo e sexy mais chato e insuportável do planeta. Sério, eu não namoraria um cara desses por medo de me tornar mentalmente insana.

O tempo todo eu me perguntava se seria possível que uma garota tão jovem (apenas 22 anos) e totalmente inexperiente (antes de Christian ela nunca tinha tido um namorado) conseguisse lidar com tantos demônios e uma alma tão torturada que é Christian Grey. A resposta é não. Masssss…. Ana supera tudo: se adapta a fome de controle de Christian, se molda ao seu gosto e estilo de vida, ajuda-o a lidar com seu passado sombrio e a expulsar os demônios que os impedem de serem felizes juntos.

50 tons mais escuros é tão raso quanto o primeiro livro da trilogia, apesar de no início parecer promissor. Vale a leitura pelo entretenimento e para conhecer as origens do dark side the Christian.

Aí eles se casam. E começa o terceiro livro.


Keywords: livros, miscelânea, Trilogia 50 tons de cinza
COMPARTILHE